Cinco concertos que não podem perder no NOS Primavera Sound

NOS PRIMAVERA SOUND BANNER

Estamos a poucos dias do início do NOS Primavera Sound e já conseguimos sentir a brisa do mar que enche os finais de tarde do Parque da Cidade, enquanto saboreamos aquela tripa de Aveiro ou nos deleitamos com as sandes de pernil da Casa Guedes. Isto sempre, claro, entre os concertos memoráveis que o NOS Primavera Sound nos tem oferecido desde a primeira edição em 2012.

A edição de 2019 apresenta muitos nomes imperdíveis, como Erykah Badu, Rosalía ou J Balvin, não esquecendo a incrível Solange, os veteranos Interpol ou Nina Kraviz, que é já uma presença bem conhecida do público português.

Como sempre, o NOS Primavera Sound faz também uma aposta muito forte em artistas da nova geração em estreia absoluta nos grandes palcos portugueses. E como são mais que muitas as recomendações que podem encontrar sobre os principais nomes que compõem o cartaz do NOS Primavera Sound, trocámos as voltas e destacamos os 5 artistas “não-cabeças-de-cartaz” que não podem perder já na próxima semana.

Dino D’Santiago

Já é bem conhecido do público português, desde as suas colaborações com Sam The Kid até ao mais recente Mundo Nôbu, o primeiro trabalho de um artista Português a ser destacado na revista Rolling Stone. Dividida entre Portugal e Cabo Verde, a música de Dino D’Santiago é morna e funaná, mas também é hip hop e música urbana. Com um público que é cada vez mais eclético, de certeza que vamos ouvir trautear “Qual é a ideia?” por muitos pontos do Parque da Cidade.

JPEGMAFIA

O rapper que já foi militar e é formado em jornalismo chega a Portugal envolto em expectativa. Aborda com o desconforto necessário assuntos como o assédio sexual nas forças armadas e a questão racial nos EUA, sem rodeios e com um sentido de humor requintado. É um dos artistas mais criativos e mais focados da sua geração, com um caminho bem definido para si, como referia há um ano atrás em entrevista à Pitchfork: “I wanna make my music as popular as it can be (…) I want to be here to stay.” E nós vamos estar lá para o ouvir, ao segundo dia do NOS Primavera Sound.

Sons of Kemet XL

Ah, mais uma banda de jazz contemporâneo? É mais ou menos isso, porque os Sons of Kemet (em versão XL no NOS Primavera Sound, com quatro, sim!, leram bem, quatro bateristas) saltam a barreira do jazz e o aclamado Your Queen Is A Reptile mostra isso mesmo. Claro que o jazz está lá, mas também estão o afrobeat e o grime, sons que também fazem parte da identidade deste Reino Unido pós-Brexit de onde são oriundos os Sons of Kemet. Quem os viu no Milhões de Festa em 2016 diz que não sabemos o que perdemos. E aí estão eles de novo, três anos depois, para tirar as teimas.

Allen Halloween

O hip hop tem marcado presença forte no NOS Primavera Sound, e o cartaz de 2019 dá destaque também à produção nacional. Allen Halloween é uma das figuras mais carismáticas do hip hop nacional, de atitude sem reservas nem rodeios. As letras são cruas, quase brutas e os beats mais lentos fazem o contraste. Allen tem uma carreira de mais de 10 anos, mas passou despercebido até à edição de Híbrido, em 2015, que viria a ser considerado um dos melhores registos nacionais do ano. Para ver na primeira noite do NOS Primavera Sound, mas sobretudo, para ouvir.

  1. Kate Tempest
  2. Ela é poeta, performer, dramaturga, escritora e é na literatura que se tem destacado, com vários prémios nesta área. Os temas da gentrificação, do capitalismo e da corrupção, exacerbados pelo ritmo das grandes cidades, a juntar-se às influências do dubstep, fazem do seu último trabalho Let Them Eat Caos um álbum que nos leva para as ruas cinzentas de Londres, e onde a spoken word de Kate Tempest soa como se a britânica caminhasse a passo apressado ao nosso lado, debitando os versos que contam as suas histórias às quais é impossível passar indiferente. É para irem vê-la bem de perto, quando subir ao palco no sábado.
  3. O NOS Primavera Sound começa já esta quinta-feira, e ainda podem assegurar os vossos passes aqui.