O triângulo dos sentidos



O triângulo dos sentidos

 

Vinho, música e gastronomia. Um triângulo que tem como vértice os sentidos. Depois de uma bem sucedida primeira edição em 2019, o Douro & Porto Wine Festival regressa ao Porto Comercial de Cambres, em Lamego, este fim de semana. Como o nome indica, os vinhos do Douro e Porto servem de aperitivo mas o evento não se esgota aqui. Música e gastronomia também se servem da garrafa.

No sábado, dia 17, destaque para as cançōes de António Variaçōes interpretadas pela banda do filme, personificada na figura do actor Sérgio Praia, e para Fafá de Belém. A noite de concertos termina com com Gipsy Kings by Diego Baliardo, mas só acaba realmente com a comida para a alma do DJ Fernando Alvim no Cook Stage. A abrir, os Sons do Douro. No dia seguinte, a tarefa de inaugurar as tábuas do palco é da “filha da tuga” Irma, seguindo-se Tiago Bettencourt, os históricos Stranglers e a figura de maior cartaz, Pedro Abrunhosa, ele que até já teve um vinho seu, criado em parceria com Dirk Niepport.

As experiências sensoriais continuam, como é o caso da Área Premium, de Food trucks e Wine Houses, ou seja pequenas casas de madeira distribuídas de forma organizada pelo recinto, onde é possível degustar, provar e adquirir vinhos das mais variadas quintas da Região Demarcada do Douro. Num espaço com seis hectares, e capacidade para cerca de vinte mil pessoas, estarão representados à volta de uma centena de produtores de vinhos da região, e mais uma dezena de chefs e especialistas. O festival tem como objetivo “rejuvenescer, posicionar e engrandecer toda a região do Douro a nível nacional e internacional”.

No Cook Stage, a gastronomia está no centro da mesa com demonstrações ao vivo, sessões de degustação, música e palestras. A coordenação é do chef Miguel Castro e Silva, que apresenta como convidados José Júlio Vintém, António Loureiro, Marlene Vieira, Catarina Nascimento, Tiago Bonito, José Guedes, Dirk Niepoort, David Guimaraens, Fernando Alvim e Miguel Gameiro.

Para chegar ao local, a organização disponibiliza um conjunto de transportes, como “barcos em que as pessoas que chegam à Régua, desde comboio ou autocarro, podem atravessar o rio Douro”, explicou o promotor Diogo Marques ao Público. “Quem vem de Lamego terá transfers gratuitos do centro da cidade para o recinto”, bem como parques de estacionamento. Uma outra alternativa para chegar ao recinto será a travessia pela ponte pedonal que liga as duas margens do Douro.

 

Bilhetes disponíveis aqui

Não há comentários

Comentários estão fechados